A burocracia não nos servirá em tempos de guerra

Estamos situados em uma sala escura. Nela, dois corpos posicionam-se um diante do outro. Raros os planos em que ambos serão dispostos no mesmo quadro, mas é a partir da interação entre eles que acessaremos um dos momentos mais paradigmáticos da história recente do país, seus ecos e seus fantasmas – atualmente sempre à espreita, em busca de um corpo no qual encarnarem. O momento: aquele Brasil pós-1964, os interstícios de uma guerra travada entre as forças do Estado e qualquer uma que ousasse contestá-las.… CONTINUA

Pedagogia de uma montagem que fala

Uma sala de aula, assim como um corpo, só consegue existir em relação com aquilo que se situa fora dela. Por mais que alguns façam de tudo para neutralizar tal condição através de um jogo retórico que rejeita e ignora a implicação do fora no curso dos acontecimentos imediatos, ele se fará presente. Ainda que tal jogo retórico produza fantasias como a ideia de grupo autossuficiente ou a percepção de um eu isolado, alguma corrente de ar teimará em vir lá da onde não estamos… CONTINUA

O animal belo feroz

Quando assistimos a sequência de episódios que compõe a saga da Leona Assassina Vingativa adentramos a particularidade do universo forjado no instante em que uma câmera amadora é acionada com o intuito de experimentar, através do registro em vídeo, outro modo de recriar aquela brincadeira de encenação já improvisada tantas vezes quando de bobeira pelos cômodos da casa, na companhia vespertina das amigas depois de verem juntas algum episódio de Maria do Bairro ou A Usurpadora. Nessa tarde, o registro será mais um caminho para… CONTINUA