Cinética Podcast #2 – Vidro e o cinema de M. Night Shyamalan

No segundo episódio do podcast, o trio Raul Arthuso, Marcelo Miranda e Fábio Andrade discute Vidro, novo filme de M. Night Shyamalan. Um dos cineastas mais incensados na história da Cinética, Shyamalan fez outro grande trabalho que chamou atenção da revista. Sua trajetória desde O Sexto Sentido (1999) é assunto neste programa – inclusive os momentos mais controversos da carreira do diretor indo-americano. Aproveitamos para comunicar que o Cinética Podcast, já disponível em diversas plataformas, vai ter periodicidade quinzenal. CINÉTICA NAS REDES Para ler, curtir,… CONTINUA

A revolução será televisionada?

O cinema de M. Night Shyamalan é um cinema habitado por mediações. Por mais transparentes e cristalinas sejam suas narrativas – grande herdeiro das regras do classicismo, ele as reconfigura para um viés puramente moderno –, o roteirista e diretor sempre as conduz por elementos exteriores ao seu centro. Desde O Sexto Sentido (1999), não há filme de Shyamalan em que o suposto ponto de partida, na verdade, seja exatamente o cerne do drama, pois pelo caminho surgirá algum elemento de mediação que desviará a… CONTINUA

Heróis e Vilões

Fragmentado vai contra um princípio básico do cinema de M. Night Shyamalan: o equilíbrio. Da concepção básica do seu personagem principal – uma elaboração que preza pela alteridade tanto em sua construção mitológica como em sua dimensão performática – ao próprio desenrolar da narrativa, existe uma constante diversidade de tons que implica da constituição formal a uma variante metafísica daquele mundo. É claro que a variação de gêneros é uma das maiores, e mais bem exploradas, características do diretor. Mas Fragmentado subverte um senso de… CONTINUA